Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

Dar um passo atrás por vezes é mais difícil do que parece. O sentimento de não querer perder ou atrasar o percurso é grande, mas muitas vezes é o melhor a ser feito. Ter paciência é uma virtude. E, como a maioria das ações que tomamos diariamente servem para construir um futuro melhor, saber dar um passo atrás para depois conseguir dar dois em frente é importante. Pára, quando sentes que tens de parar. Abranda, quando assim bem entenderes. Tudo em prol do objetivo final. (...)
O ser humano tem muitas limitações. Uma delas é a dificuldade em compreender o futuro longínquo. Ele sabe o que significa viver daqui a 10 anos, não percebe é o que consegue atingir nesse período de tempo. Fazemos planos (eu incluído) para o nosso futuro como se fôssemos a mesma pessoa daqui a 10 ou 15 anos. Mas a verdade é que os nossos gostos e prioridades mudam constantemente ao longo do tempo, muitas vezes, mesmo sem nos apercebermos disso. O que hoje sabemos que queremos (...)
Sempre gostei de aprender coisas novas. E, até aqui, sempre tive algumas ideias de coisas que jogava de aprender a fazer ou mesmo melhorar o que já faço. Hoje foi o dia em que passei essas ideias para o papel, ou melhor, para uma página na aplicação Notion. Sabia que queria aprender várias coisas, não sabia é que eram tantas! Realmente ao ter ali tudo escrito e descrito deu-me clareza para saber exatamente tudo aquilo que quero fazer! Estou mortinho para que esta época de exames (...)
É interessante pensar que toda a nossa vida gira em torno da gratificação a longo prazo. E, quando a gratificação imediata entra em jogo, na grande maioria das vezes (nem sempre), entra como intrusa. Não pertencendo verdadeiramente àquele tempo e espaço. Desviando o nosso foco do que realmente é importante. Estudamos durante os primeiros 25 anos da nossa vida, pelo menos, para nos formarmos num campo específico e trabalharmos nele encontrando estabilidade. Praticamos exercício (...)
Já alcançaste algo que nunca pensavas conseguir alcançar? Tiveste aquele sentimento de orgulho tão grande que tão bem sabe? Eu hoje também e vou contar-te a minha história. Há pouco mais de um ano atrás comecei a correr. Corria 4km, mais ou menos regularmente, e sentía-me exausto cada vez que os terminava. Não ia nem muito rápido nem muito devagar, ia assim assim. Há medida que os meses foram passando, a corrida começou a fluir mais naturalmente até que me inscrevi para a (...)
A procura e a aprendizagem de novas habilidades quer seja por livros, vídeos ou mesmo por convívio com pessoas especializadas num determinado campo é importante para o nosso crescimento. Tanto como pessoas como profissionais nesse mesmo campo.  Ao aprendermos e nos apercebermos de alguns dos métodos e princípios que levaram determinadas pessoas a prosperar nos seus campos, muitas pessoas tendem a reproduzir esses mesmos princípios para consequentemente, eventualmente alcançarem os (...)
Não sei o que te faz pensar assim. O mundo nem sempre é escuro, por vezes é branco de cetim. Nem todos temos o mesmo fim.   Há muitos que chegam ao céu, outros cavam buracos. Enquanto uns estão preocupados a construir, tu lamentas-te que és fraco.   O problema não é o mundo. O mundo não criou o problema. O teu cérebro é que está imundo. Dessa tua forma de pensar extrema.   Não olhes para o céu enquanto não olhares para ti. Mesmo para o centro do teu umbigo. Porque não (...)
Há uns anos atrás deparei-me com a Impossible List de Thomas Frank. Uma lista em que o próprio incluiu todos os objetivos e desejos que ele quer atingir e realizar durante toda a vida. Nesta lista estão desde as coisas mais simples às mais extravagantes que possas imaginar: como experienciar a gravidade zero.  Influenciado por esta lista cheia de experiências e objetivos, decidi (...)
Há uma frase que diz "tu és a média das 5 pessoas com quem passas mais tempo". Eu acredito nessa frase, contudo, não por inteiro. Isto porque uma pessoa não se define apenas pelas pessoas com quem ela se dá. É apenas uma parte disso, isto é um pouco mais complexo. O nosso ambiente externo, define muito aquilo que nós somos e sentimos no dia-a-dia. O problema é que em tempos de isolamento social, o que nós éramos e sentíamos há uns meses para cá, pode ter vindo a mudar. (...)