Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

James Patterson é um dos autores que mais livros vende nos EUA. É conhecido especialmente pela sua série de livros do Psicólogo forense Alex Cross e foi exatamente um livro dessa série que li: Alex Cross. Por nunca ter lido nenhum livro deste autor e por ser um tão conceituado e bem sucedido com a escrita, decidi embarcar nesta aventura para conhecê-lo melhor. Desde as primeiras páginas, foi claro para mim o porquê do seu sucesso. Uma escrita envolvente, rápida de ser lida e (...)
Já alcançaste algo que nunca pensavas conseguir alcançar? Tiveste aquele sentimento de orgulho tão grande que tão bem sabe? Eu hoje também e vou contar-te a minha história. Há pouco mais de um ano atrás comecei a correr. Corria 4km, mais ou menos regularmente, e sentía-me exaustocada vez que os terminava. Não ia nem muito rápido nem muito devagar, ia assim assim. Há medida que os meses foram passando, a corrida começou a fluir mais naturalmente até que me inscrevi para a (...)
- Foi tudo mentira James, desculpa... - disse Rachel ajoelhada em frente dele com as lágrimas nos olhos. James não respondeu. Baixou a cabeça e fechou os olhos. As palavras proferidas tinham-lhe trespaçado o coração da mesma forma como uma espada aguçada. Nesse momento percebeu que a dor emocional ultrapassava qualquer dor física alguma vez sentida. Em poucos segundos, essa dor irradiava do coração isotropicamente para todo o corpo. Começou a tremer. As pernas começaram a (...)
Hoje, como na grande maioria dos meus dias, fui correr de manhã e uma pessoa, desconhecida por acaso, me desejou "Tenha um bom dia!". Um idoso, que acredito que tinha um sorriso rasgado escondido por trás da máscara que lhe tapava metade do rosto. Agradeci, coloquei também eu um sorriso na cara e retribui-lhe o "bom dia". Posso dizer que ainda não eram nove horas da manhã e o meu dia já estava completo. Alguém que deambulando por aí, levanta a cabeça e deseja "bom dia" a uma (...)
Pessoas precisam de histórias. Histórias de dragões, de heróis, de príncipes e de princesas. Realidades para além da realidade, é disso que tudo se trata. Locais onde as pessoas se podem recolher no final do dia para aproveitar e relaxar. Longe de responsabilidades, da rotina, longe de tudo. Livros de histórias são um ombro amigo no qual nos podemos debruçar. Seja em momentos bons, ou menos bons. Sempre presentes, ali, para nós. Livros de histórias são uma lufada de ar fresco (...)
Está escuro. Não vejo nada. Abro e fecho os olhos repentinamente, vejo o mesmo. Estou sozinho. Não percebo. Como assim estou sozinho? Porque é que toda a gente me abandonou? Porquê? O que é que eu fiz? Em quem me vou apoiar agora? Quem vai ser o meu ombro amigo? Quem me vai dizer palavras de conforto quando eu mais precisar? Quem me vai dizer palavras de motivação quando eu mais precisar? Quem? Quem?! Parece que vou ter de ser eu a fazer tudo, a ser tudo e a dizer tudo. Parece que (...)
Nos últimos 11 dias, tenho implementado na minha vida um hábito que já há algum tempo não praticava: a meditação. Sempre fui um bocado cético em relação a este hábito, apesar de conhecer todos os benefícios que ele traz. Não sei. Começava a meditar, passando uns dias, deixava-o de lado outra vez. Não conseguia ser consistente. Há 11 dias atrás retornei e, até falha em contrária, é para continuar! São agora, precisamente 22h52 quando acabo de meditar. E, durante a (...)
Nem sabem o que hoje me aconteceu! Estava eu, muito tranquilo e sossegado a jogar plague inc. no meu computador. Sabem, aquele jogo em que tu dás nome a um vírus e tens a missão de aumentar os sinais, sintomas, vias de contágio dele até conseguires, eventualmente, extinguir toda a população terrestre antes que a sociedade encontre a sua cura. No início do jogo dei ao meu vírus o nome de covid-19, pensei que seria um nome bastante interessante para ser utilizado, e assim foi.  Ao (...)
Adoro memórias. Adoro lembrar-me de pequenos momentos que me fizeram sorrir no passado e momentos menos bons que me fizeram quem sou hoje no presente. Ambos são tão importantes, apesar de ser muito melhor relembrar os momentos felizes. Quem não gosta de uma boa história? Toda a gente gosta. Toda a gente gosta de uma boa memória que nos fez rir tanto e aconteceu tão aleatoriamente que se tornou numa daquelas histórias para se contar aos netos. É algo impagável. É sinal que (...)
Desde pequeno que sou fascinado por livros pois gosto de histórias. Tenho curiosidade em saber o que eles têm para contar. Tenho curiosidade em saber o que tenho a aprender com eles. E sou grato de sempre ter tido a oportunidade de ler muitos. Houve um período da minha vida que deixei um bocado este hábito por terra, mas rapidamente o voltei a incluir e estou mais que satisfeito com o resultado. Costumo ler de manhã, e sinto que esses minutos de leitura me dão o impulso necessário (...)