Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

Já alcançaste algo que nunca pensavas conseguir alcançar? Tiveste aquele sentimento de orgulho tão grande que tão bem sabe? Eu hoje também e vou contar-te a minha história. Há pouco mais de um ano atrás comecei a correr. Corria 4km, mais ou menos regularmente, e sentía-me exausto cada vez que os terminava. Não ia nem muito rápido nem muito devagar, ia assim assim. Há medida que os meses foram passando, a corrida começou a fluir mais naturalmente até que me inscrevi para a (...)
Há uns dias para cá apercebi-me de uma pequena sucessão de hábitos que me deixa com uma sensação de bem-estar tremenda. É disso que venho falar aqui hoje. Com o objetivo de eternizar este momento e, quem sabe, replicá-lo para os dias seguintes que vêm. Neste momento são 10 horas da manhã. Levantei-me por volta das 7h45, comi qualquer coisa rápida pois não gosto de correr de barriga vazia e saí de casa para a minha corrida pelas 8h20. Cheguei a casa eram exatamente 9h15. (...)
Sentimentos como os de realização e orgulho pessoal são por vezes difícieis de alcançar. Não sabemos o que fazer realmente para nos sentirmos assim. Não sabemos como atuar para que eles notem em nós e nos abracem com toda a sua força. Eu por vezes também não, mas uma coisa eu sei... Sei que não é pelas pequenas coisas que eles aparecem. Apesar de serem as pequenas coisas a criarem os alicerces para as grandes se formarem e ganharem asas, é o resultado final, as grandes (...)
Em tempos tão monótonos como os que vivemos, por vezes arranjamos dificuldade em nos entusiasmarmos com alguma coisa. O que nos entusiamava, fizemos nos primeiros dias. Ao fim de 3 semanas, toda essa emoção e sentimento desapareceu e o que restou foi cansaço, aborrecimento e desespero por uma rotina nova. Apesar de tudo, venho-vos dizer que não tem de ser sempre assim. Podem muito bem fazer pequenas mudanças na vossa rotina e aproveitá-la, de verdade. Ficarem genuinamente felizes, (...)
Estou deitado no sofá, agarrado a uma almofada enquanto sorrio pateticamente. E sorrio porquê? - Perguntam vocês - Porque gosto de me relembrar das coisas que me fizeram feliz no passado. Coisas essas que ainda hoje me colocam um sorriso nos lábios e me deixam feliz no presente. Coisas essas que aconteceram e que se eternizaram desde aí. Coisas essas que não vou esquecer, nunca. Foi tão bom... que não consigo dizer mais nada. Não consigo passar tudo para o papel. E mesmo que (...)
Lembra-te: se não procurares a felicidade, ninguém a vai procurar por ti. Se não fizeres as coisas que gostas, que te fazem sentido, que te colocam um fogo na barriga e um sorriso nos lábios, ninguém o vai fazer por ti. Cabe a ti procurar isso. Todos os dias. Se só pudesse haver um objetivo por cada dia que se vive, que seja esse: procurar a felicidade.
Desde o final da semana passada tenho estagiado num serviço de Radioterapia. O lidar e trabalhar com doentes oncológicos tantas horas por dia, tem-me ensinado muita coisa. Mais do que eu estava à espera, admito. Cada pessoa é uma pessoa e todos nós encaramos a doença de maneiras diferentes, tendo assim diferentes perspetivas da realidade. Mas dá-me um brilho nos olhos pessoas que têm consciência da doença que têm e mesmo assim entram no serviço com um sorriso nos lábios a (...)
Hoje pelo que parece aqui o Gonçalo faz os seus 21 anos de vida! Durante este dia pensei um bocado sobre estes 20 anos que passaram e o que eu mudei ao longo deste período. E, tenho a dizer, que foram 20 anos muito bem passados. Tenho a sorte de ao longo desta pequena grande jornada me ter deparado com pessoas extraordinárias, com as quais ainda hoje mantenho contacto e que me são muito próximas. Posso dizer que muitas delas fizeram quem eu sou hoje e que sem elas este caminho não (...)
Existem pessoas com quem me encontro que irradiam bondade. Não são precisos muitos minutos com elas para perceber que elas estão profundamente disponíveis para as pessoas e fazem-no do fundo do coração. Para além disso se ver pela expressão dos seus olhos e sorriso, não é a primeira nem a segunda vez que as vejo assim.  Fico genuinamente contente por me encontrar com pessoas assim. Fico contente não só por mim, mas por elas e pelos outros. Pessoas como estas têm muito a (...)