Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

Muito do que fazemos no dia a dia é baseado no resultado de experiências anteriores. Se elas foram positivas, tendemos a repetir, se negativas, tendemos a evitar. Mas e se repetíssemos também as experiências negativas? Não qualquer uma, mas aquelas que têm potencial para nos fazer crescer. Talvez iríamos aprender mais por aí que indo pelos caminhos seguros. Pensa nisso. Photo by Pablo García Saldaña (...)
Existem sempre descrições de experiências que passam de anos para anos. Descrições essas baseadas em experiências individuais que acabaram por generalizar e descrever experiências na sua essência. E, tomar isso como verdadeiro, não é de certeza o melhor a ser feito. O que as outras pessoas vivem, não significa necessariamente o que tu vais viver. E, acreditar inteiramente nisso, só te trará ora demasiadas expectativas (caso a descrição tenha sido positiva) ora ansiedade (...)
Os últimos 2 meses têm sido diferentes de qualquer época que já tenhamos experienciado, ou pelo menos, falo por mim, que eu tenha experienciado. Com isto, tenho navegado mais pela Internet, tenho lido mais, no fundo, tenho-me exposto a mais informação à que estava acostumado. Consequentemente, tenho-me deparado com tanta coisa interessante de saber e experienciar que começo a achar que a vida é demasiado curta para conseguir fazer isto tudo. Acredito que não te estou a dizer nada (...)
Sou uma pessoa que se considera um tanto ou quanto apaixonada por desenvolvimento pessoal. Gosto de ler artigos, livros, ouvir podcasts, ver vídeos, tudo em torno desse assunto. Gosto da ideia de conhecer o que funcionou bem para os outros, que poderá funcionar para mim também. Tornando-me mais claro, mais consciente, mais produtivo e eficiente. No fundo, uma pessoa melhor e mais completa. Tenho um medo verdadeiro que é o de crescer e não crescer realmente. Envelhecer, ficar mais (...)
Nos últimos 11 dias, tenho implementado na minha vida um hábito que já há algum tempo não praticava: a meditação. Sempre fui um bocado cético em relação a este hábito, apesar de conhecer todos os benefícios que ele traz. Não sei. Começava a meditar, passando uns dias, deixava-o de lado outra vez. Não conseguia ser consistente. Há 11 dias atrás retornei e, até falha em contrária, é para continuar! São agora, precisamente 22h52 quando acabo de meditar. E, durante a (...)
30 Jan, 2020

Ler mais rápido?

Quão bom era ter a capacidade de ler rapidamente extremas quantidades de informação e mesmo assim retê-la? Era ou não era espetacular? Há uns tempos descobri esta ideia de Speed Reading. Confesso que na altura achei interessante, mas ficou apenas por aí. Não tentei aprender mais sobre isso, como funcionava, nada. Hoje foi diferente. Acabei por ceder a uma das recomendações do YouTube e acabei por me interessar mais uma vez por este tópico. Li que a velocidade média de leitura (...)
Dizem que a pressa é inimiga da perfeição por isso vim testar hoje isso mesmo.  É interessante perceber o que o nosso cérebro passa para o papel com pouco ou nada de pensamento. Sai tudo tão espontâneo e fluido que é difícil descrever. Este processo quase que se torna automático, como que apesar de teres todo o controlo sobre ele, o perdesses todo ao mesmo tempo - As palavras estão a escrever-se a si próprias, não sou eu, juro. Sinto que ao fazer este pequeno experimento, a (...)
És daquelas pessoas que gosta de experimentar coisas novas, ou daquelas que gosta de manter as mesmas escolhas uma e outra vez? Tenho reparado que muitas pessoas que me rodeiam gostam de manter as suas escolhas naquilo que gostam, rejeitando tudo o que difere do comum para elas. Talvez com receio das novidade as desapontar, creio eu. Mas como é que é possível saber isso? Não é. É possível que na hora de escolher um sabor de gelado, por exemplo, o facto de escolheres uma novidade, (...)
Adoro memórias. Adoro lembrar-me de pequenos momentos que me fizeram sorrir no passado e momentos menos bons que me fizeram quem sou hoje no presente. Ambos são tão importantes, apesar de ser muito melhor relembrar os momentos felizes. Quem não gosta de uma boa história? Toda a gente gosta. Toda a gente gosta de uma boa memória que nos fez rir tanto e aconteceu tão aleatoriamente que se tornou numa daquelas histórias para se contar aos netos. É algo impagável. É sinal que (...)