Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

Mark Twain uma vez disse: "Não é aquilo que não sabemos que nos mete em problemas. É aquilo que sabemos."

Esta afirmação fez-me pensar. Porque ambos os extremos me parecem pouco viáveis. 

Faz-me sentido que tudo aquilo que nos mete em problemas, é apenas e exclusivamente o que sabemos. Porque não se pode criar problemas naquilo que desconhecemos. O que o ser humano sofre quando não sabe alguma coisa é somente devido a pensar demais. Supondo tudo o que poderá ser que não sabe. Sobrecarregando-se sobre si próprio.

Por um lado, num extremo, suponhemos que queria evitar problemas. Se a afirmação acima estiver correta (seja lá o que isso for) isso significa que teria de ser ignorante? Não querer saber de nada? Como disse acima, não me parece viável. Porque ser totalmente ignorante, impede-nos de tudo basicamente, porque não se sabe nada (suponde que isto fosse possível).

Mas por outro lado, no outro extremo, era omnisciente. Sabia de tudo sobre tudo. Mas, teria imensos problemas. Com tanto conhecimento, iria haver assuntos com os quais não estava de acordo, iriam contra os meus ideiais e crenças. Provocando assim um conflito interno.

Concluindo, o ser humano é um ser curioso. Muitas vezes quer saber demais. Mas isso traz-lhe o caos, o conflito com o Mundo e consigo próprio. Como tudo na vida precisa de equilíbrio, isto não é exceção. Ambos os extremos são demasiado radicais e por isso saber o suficiente para não ser ignorante mas não saber demais para entrarmos em paranóia. A nossa sorte é que a omnisciência não é alcançada por ninguém mortal, por isso estamos salvos e podemos aprender sobre tudo o que a vida nos oferece.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.