Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

A privação do sono é um problema geral na sociedade nos tempos que correm, isso é certo. Apesar de se saber que traz muitas consequências a nível cerebral e corporal, continua a ser uma realidade. Problemas do foro cerebral podem passar por: doença de Alzheimer, ansiedade, depressão, perturbação bipolar, suicídio, entre outras.

Aquilo que os indivíduos privados de sono sentem inicialmente quase momentaneamente é a falta de atenção. Ocorrendo frequentemente lapsos momentâneos na concentração, denominados por microssono. 

Vários foram os estudos sobre a atenção de indivíduos quando privados do sono. Em alguns deles, concluíram que depois de seis noites a dormir apenas quatro horas, o desempenho dos participantes era tão mau como os do grupo completamente privado de sono ao fim das primeiras vinte e quatro horas. Surpreendente, certo? Mais surpreendente ainda foi observar que apenas dez dias a dormir seis horas por noite, estes indivíduos atingiram um desempenho semelhante àqueles que ficaram vinte e quatro horas sem dormir.

De forma a estudar e investigar melhor este tema da atenção, realizaram-se muitos estudos comparando indivíduos privados do sono e outros sobre o efeito de álcool. Estes estudos concluíram que indivíduos acordados durante dezanove horas, apresentavam um enfraquecimento cognitivo igual àqueles que estavam legalmente embriagados. Isto é assustador. Pior ainda, quando acumulando o cansaço com os efeitos de álcool o perigo aumentava exponencialmente.

Referi anteriormente a doença de Alzheimer e sim, o sono insuficiente é um dos fatores de risco para esta doença. Vou tentar explicar muito resumidamente o que se passa no nosso cérebro de forma simples e concisa. A doença de Alzheimer associa-se à acumulação de placas de uma proteína tóxica chamada beta-amiloide. Estas placas vão-se agregar a específicas áreas do cérebro matando as células cerebrais ao redor. Verificando-se que se acumulam maioritariamente nas áreas do cérebro responsáveis pelo sono profundo, o que se consegue explicar o porquê da insónia ser uma condição frequente em indivíduos com a doença de Alzheimer. Para além disso, temos um sistema que tem a função de limpeza de substância tóxicas e outros desperdícios metabólicos do nosso cérebro. Sistema esse que está mais ativo durante o sono e que com o seu funcionamento, elimina muita da proteína tóxica acumulada. O que acontece assim, é um ciclo vicioso entre a falta de sono e a acumulação das placas beta-amiloide. A privação do sono vai resultar num maior aumento da proteína tóxica já que ela não é tão eliminada, acumulando-se nas áreas resultantes do sono profundo. Essa perda de sono profundo, enfraquece ainda mais a capacidade de de limpeza das proteínas tóxicas. Mais proteína tóxica, menos sono profundo, menos sono profundo, mais proteína tóxica e por aí em diante.

Ficou mais que claro, os perigos da falta de sono para o cérebro. Referi apenas alguns dos muitos problemas que a falta de sono pode provocar nele. Espero que tenham ficado tão sensibilizados quanto eu fiquei. Este é um problema real, que felizmente, temos um bocado de controlo sobre ele. Vamos utilizá-lo e minimizar os riscos de corremos.

Amanhã vamos falar sobre a privação do sono e os riscos que pode trazer para o corpo, não percas!

robina-weermeijer-3KGF9R_0oHs-unsplash.jpg

Photo by Robina Weermeijer on Unsplash

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.