Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

Hoje vi o documentário "Inside Bill's Brain: Decoding Bill Gates" e adorei. Sempre tive muito respeito por ele e pelo seu contributo ao mundo, às nossas vidas. Este docomentário só fomentou ainda mais o que pensava sobre ele.  Este documentário fez-me pensar. Ao longo da mini-série, não conseguia tirar da cabeça a quantidade de pessoas que estão a trabalhar neste momento com o objetivo de um mundo um bocado melhor. Seja em qual ramo for, há tantas, tantas, mas tantas pessoas (...)
Tenho passado tanto tempo em casa como há muito tempo não passava. Arrisco-me a dizer até, que nunca passei tanto tempo como agora (apesar de pequenas saídas curtas e pontuais, claro). Como sou uma pessoa que não gosta de ficar parada muito tempo, tenho aproveitado para fazer tudo e mais alguma coisa. Tenho aproveitado para acordar, fazer a minha lista de tarefas para o dia e aproveitá-lo como um todo.  Entre trabalhos, aulas e algum estudo para a faculdade, tenho conseguido (...)
O facto de tudo à nossa volta estar a desabar, não significa que desabemos com a maré. Isso só acontece se assim o permitirmos. Temos sim, escolha nisso. Temos sim, formas de prevenir que isso aconteça. É importante que descruzemos os braços e trabalhemos em torno desse objetivo. Afiar a nossa capacidade emocional e encarar os factos de cabeça levantada. Porque, no momento que toda a gente cair, e for preciso alguém para os levantar, essa pessoa podes ser tu.
Não consegues. Podes tentar mas não vais conseguir. Não percas o teu tempo. Não é com mentiras, negações ou omissões que vais deixar de sentir o que sentes. Podes enganar os outros mas não te consegues enganar a ti próprio, é mais forte que tu. Trata-se de algo que não podes controlar, não te martirizes tanto. Tantas palavras, sorrisos e olhares falsos para esconder e tentar esquecer algo que o teu pensamento não consegue largar. Para quê tanto esforço se quando alguém (...)
O mundo tem vivido um autêntico terror. Era impossível prever que tal tragédia iria acontecer, mas a verdade é que aconteceu. Tempos difíceis vieram, e vieram para ficar. Contudo, e apesar de todos os males que se têm verificado nos últimos dias e semanas, há coisas, diria eu, bastante positivas que também elas merecem ser retratadas e comunicadas à comunidade. Já há tanto desastre na comunicação social nos dias de hoje, seja ele económico, físico, epidemiológico ou social (...)
18 Mar, 2020

Gritar ao mundo

Nos dias de hoje o clicar no botão "publicar" é realizado de forma demasiado normal e descansada. Sabemos, mas agimos como se não soubéssemos que tudo o que cai na Internet encontra-se visível aos olhos de todos. A verdade é que a Internet é um poço sem fundo. Que, quanto mais informação lá se encontra, mais fundo ele parece. Partilhar uma foto hoje em dia é como levantá-la em pleno de estádio de futebol. Com um pequeno pormenor, esse estádio tinha mais de 3.5 bilhões de (...)
17 Mar, 2020

A triste atualidade

Dias tristes têm-se acumulado uns em cima dos outros. Na rua já não se vê o que se via: sorrisos, gargalhadas, paz e conforto. Todos esses sentimentos e emoções deram lugar à dúvida, preocupação e medo. As pessoas já não são pessoas. São almas ambulantes que deambulam pelas ruas muitas vezes não por opção própria mas porque o trabalho assim as obriga. Já não se cumprimentam, olham umas para as outras e acenam com a cabeça. Serve, mas não é a mesma coisa. O medo (...)
Não pensando em nada. Ou, pelo menos, tentando não pensar em nada. Simples assim. Parece-me contraintuitivo pensar em algo, ver algo ou mesmo ouvir algo quando estamos a tentar procurar as palavras certas, o conteúdo correto para o nosso projeto. Como se no final resultasse tudo numa salada de ideias, todas misturadas, resultando em nenhuma ideia em concreto. Se queremos pensar em algo, realmente, há que resistir à tentação de pensar (demasiado). Deixar fluir o que a nossa cabeça (...)
Está escuro. Não vejo nada. Abro e fecho os olhos repentinamente, vejo o mesmo. Estou sozinho. Não percebo. Como assim estou sozinho? Porque é que toda a gente me abandonou? Porquê? O que é que eu fiz? Em quem me vou apoiar agora? Quem vai ser o meu ombro amigo? Quem me vai dizer palavras de conforto quando eu mais precisar? Quem me vai dizer palavras de motivação quando eu mais precisar? Quem? Quem?! Parece que vou ter de ser eu a fazer tudo, a ser tudo e a dizer tudo. Parece que (...)
12 Mar, 2020

Corda bamba

Sou um equilibrista. Um constante equilibrista. Equilibro-me 24 horas sob 24 horas numa fina corda sobre um mar. Um mar onde não consigo ver nada para além dele, mas que, apesar disso consigo ver o meu reflexo. O reflexo de alguém com medo, receio, mas que mesmo assim caminha. Pé ante pé enfrentando o grande nevoeiro que me abraça. Não vejo nada. Olho em redor, está tudo branco. Apenas vejo o meu reflexo na água. Olho para mim, respiro fundo, e continuo o meu caminho. Pé ante (...)