Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

A falta de noção das pessoas é algo que não consigo entender. Pessoas que mostram só se preocuparem com elas próprias, pessoas que só pensam num futuro próximo, pessoas que pensam que as coisas só acontecem aos outros... É incompreensível e extremamente irresponsável. Se conseguissem por um momento que seja, deixarem de olhar apenas para o seu umbigo, levantar a cabeça e olhar ao seu redor, ajudava. Viam então que a situação não está famosa e que toda a prevenção é pouca.  (...)
Não vemos coisas onde elas existem e insistimos em ver coisas onde não existem. Enganamo-nos voluntariamente diariamente sobre o que vemos e o que não vemos, privando-nos da verdade e da realidade. Doenças, rumores... Com isto, engolimos a informação que nos metem à frente e tomamo-la como verdade absoluta, estando ela muitas vezes errada, também. E onde está a verdade? Por aí. Algures perdida numa esquina de uma rua. Num local onde ninguém a encontra, porque na realidade (...)
08 Mar, 2020

Copo meio vazio

Para algumas pessoas a vida é a preto e branco. Não esperam nada de ninguém, nem vêem nada de bom em ninguém. Falam constantemente mal dos outros como se de tudo soubessem, quando na verdade não sabem nada. São excêntricas e não têm problema nenhum em afirmar quão mal algo vai correr, mas não pensam em: "Quais as probabilidades disse realmente acontecer ?". Uma pergunta tão simples e tão eficaz para acabar com pensamentos tão destrutivos como estes. Há que deixar estes (...)
Uma montanha daquelas que quando começam tu te seguras aos apoios antecipando o pior. Uma montanha daquelas que te coloca de cabeça para baixo, não uma, não duas, mas muitas vezes. Uma montanha daquelas que até a espera para começar te assusta, porque é isso que a vida faz. Até que, a vida começa. Começa a subir, entre voltas e reviravoltas, colocam-te de cabeça para baixo. Gritas. Voltas ao normal, chegas ao paraíso. Aí, apercebes-te que vais fazer uma descida a pique, (...)
Todos os pequenos hábitos, palavras e ações que fazes definem quem tu queres ser no futuro. São eles que formam a personalidade e imagem que vais ter, quer tu queiras, quer não. Por isso, pensa. Pensa em quem tu queres ser. Imagina a tua melhor versão e certifica-te também que pensas no que é preciso fazeres todos os dias para alcançá-la. São as pequenas coisas que tu fazes hoje que fazem com que tu sejas grande um dia.
Passeio pela ponte, vejo centenas de carros a passarem na estrada por baixo de mim. Cada um diferente um do outro. Vejo-os pequenos, mas rápidos. Consigo notar na expressão cansada e apática dos condutores,  E pergunto-me: É esta a vida que quero? Onde os mesmos carros,  com as mesmas pessoas, percorrem o mesmo trajeto,  todos os dias sete vezes por semana. Onde os próprios carros já sabem melhor o caminho que o dono. Onde os semáforos param os mesmos carros à mesma (...)
Não percebo. Não percebo o que uma pessoa pensa para chegar à conclusão que vai comentar alguma coisa negativa com o intuito de rebaixar alguém. Juro que não consigo perceber. Ao verem algo, pensam em comentar algo e realmente o fazem. Dão-se a esse trabalho. Não percebo mesmo o que ganham com isso... Uma coisa é certa, devem ser mesmo pessoas infelizes. Tão infelizes que a única felicidade que conseguem ter é com a infelicidade dos outros... Só assim... Como devemos reagir (...)
Já aqui escrevi muito sobre o quão eu gosto das manhãs. Muito devido à sua paz e silêncio. Isto fez-me pensar o que estes sentimentos e emoções conseguem provocar em nós para além de um bem-estar geral. Pois bem, percebi que para alguém que escreve, este silêncio é mais que importante, é fundamental. Pessoalmente não consigo consigo escrever com música, ruído, entre outros. Tolero barulho de fundo, mas idealmente o silêncio é o desejável. Sinto que dessa forma as minhas (...)
Na vida somos todos girassóis. Procuramos a vida toda, ou pelo menos parte dela, o raio de sol que nos diga para onde nos virarmos e trabalharmos nisso, no tópico que amamos. Uns girassóis demoram mais que outros a encontrar o seu nicho, mas eventualmente chegam todos lá. O mais difícil por vezes não é encontrar um nicho e gostar, mas sim, sair desse e aventurarmo-nos noutro. Toda a incerteza, o receio e o desconhecido, prende-nos a virarmo-nos para o raio de sol mais forte. E não (...)
Lembra-te: se não procurares a felicidade, ninguém a vai procurar por ti. Se não fizeres as coisas que gostas, que te fazem sentido, que te colocam um fogo na barriga e um sorriso nos lábios, ninguém o vai fazer por ti. Cabe a ti procurar isso. Todos os dias. Se só pudesse haver um objetivo por cada dia que se vive, que seja esse: procurar a felicidade.