Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

A Jornada de um Estudante

Um Blog sobre aprender, ensinar e criar online.

Os sonhos é um tópico muito discutível na comunidade científica. E que, apesar disso, ainda não se chegou a uma resposta final sobre a utilidade final deles. Sabe-se sim que apresentam duas funções importantes: cuidam da nossa saúde emocional e mental e são muito importantes na nossa criatividade. O sono tem dois estados importantes: o sono NREM (sono profundo) e o sono REM (estado em que ocorrem os sonhos). Sabe-se que o sono REM é a única altura do dia em que o cérebro é (...)
Ontem falámos sobre as consequências da privação do sono para o cérebro, hoje vamos falar das consequências para o corpo. Se não ficaram impressionados com o que umas horas a menos de sono podem fazer ao vosso cérebro esperem para perceberem o que pode fazer a todos os sistemas que regulam o nosso corpo. À semelhança do cérebro, a falta de sono traz variadas consequências ao nosso corpo. Os problemas podem passar por: cancro, diabetes, ataques cardíacos, infertilidade, aumento (...)
A privação do sono é um problema geral na sociedade nos tempos que correm, isso é certo. Apesar de se saber que traz muitas consequências a nível cerebral e corporal, continua a ser uma realidade. Problemas do foro cerebral podem passar por: doença de Alzheimer, ansiedade, depressão, perturbação bipolar, suicídio, entre outras. Aquilo que os indivíduos privados de sono sentem inicialmente quase momentaneamente é a falta de atenção. Ocorrendo frequentemente lapsos (...)
Que o sono é restaurador já todos sabemos. Chegamos muitas vezes ao final do dia com o pensamento tão distorcido de cansaço que quando nos deitamos na cama e adormecemos, tudo desaparece quase que por magia. Acordando assim na manhã seguinte novos e rejuvenescidos. Mas, isto não é magia. Se o sono for considerado magia, então sim é magia. Este cansaço todo acumulado durante o dia é normal. A capacidade de aprendizagem e cognitiva do cérebro humano diminui com o tempo de (...)
Aproximadamente dois terços da nossa vida é passada a dormir (ou pelo menos devia ser). O dormir ocupa uma porção tão grande da nossa vida e mesmo assim não sabemos se o fazemos corretamente, nas medidas certas e nos tempos certos. No livro "Porque dormimos?" de Matthew Walker, o autor apresenta-nos um conjuntos de questões que nós podemos utilizar. As respostas a essas (...)
Com a leitura de "Porque dormimos?" de Matthew Walker (livro que falei ontem aqui), aprendi muito. Deparei-me com tanta informação que acho essencial todo o ser humano saber, ou pelo menos, deparar-se com ela também e pensar. Posto isto, resolvi nos próximos 9 dias aqui do Blog falar de certos tópicos abordados no livro. De forma a sensibilizar o maior número de pessoas (...)
Desde o final da semana passada tenho estagiado num serviço de Radioterapia. O lidar e trabalhar com doentes oncológicos tantas horas por dia, tem-me ensinado muita coisa. Mais do que eu estava à espera, admito. Cada pessoa é uma pessoa e todos nós encaramos a doença de maneiras diferentes, tendo assim diferentes perspetivas da realidade. Mas dá-me um brilho nos olhos pessoas que têm consciência da doença que têm e mesmo assim entram no serviço com um sorriso nos lábios a (...)
30 Jan, 2020

Ler mais rápido?

Quão bom era ter a capacidade de ler rapidamente extremas quantidades de informação e mesmo assim retê-la? Era ou não era espetacular? Há uns tempos descobri esta ideia de Speed Reading. Confesso que na altura achei interessante, mas ficou apenas por aí. Não tentei aprender mais sobre isso, como funcionava, nada. Hoje foi diferente. Acabei por ceder a uma das recomendações do YouTube e acabei por me interessar mais uma vez por este tópico. Li que a velocidade média de leitura (...)
Não é nada agradável errar pois não? Mas então e se não errássemos? Se tudo o que nós fizéssemos, fizéssemos bem. E melhor, se isto tudo acontecesse nos teus primeiros 30 anos? Pois é. Seria tudo muito diferente do que é agora e não seria diferente para melhor. O facto de não errar em nada torna-nos fortes mas simultaneamente fracos. Fortes pois conseguimos fazer as coisas bem, mas fracos emocionalmente pois estamos habituados que a vida seja um mar de rosas. Errar dá-nos (...)
A prática leva à perfeição. Todos nós já ouvimos esta expressão vezes e vezes sem conta. E muitas vezes seguimo-la religiosamente quando queremos melhorar alguma habilidade nossa. A verdade é que não é só preciso praticar. Esse nem é o aspeto mais importante na aprendizagem. Por vezes é preciso parar, e focar onde erramos no momento. Só assim é que conseguimos continuar o processo de aprendizagem e não atingir o famoso plateau. Como Josh Foer escreveu em "Um passeio na (...)