Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Jornada de um Estudante

Um estudante da vida, que escreve do que pensa, do que vê e do que sente

A Jornada de um Estudante

Um estudante da vida, que escreve do que pensa, do que vê e do que sente

Ontem vi um vídeo de um professor de Psicologia chamado Martin Lobdell. Martin Lobdell é um professor Universitário que durante muitos anos tem ajudado milhares de estudantes a estudarem mais eficientemente e a serem melhor sucedidos. Após ver o dito vídeo e ler as minhas notas, resolvi trazer aqui hoje 7 dicas de como estudar mais eficientemente.
 
  1. Dividir o tempo de estudo em sessões de tempo menor
Muitos estudantes ficam longos períodos de tempo a estudar na ideia de que dessa forma vão ser muito produtivos. Isso não funciona bem assim. Está provado que um estudante consegue manter atenção durante 25-30 minutos. Para lá desse tempo, a nossa atenção diminui, vamos dispersar muito mais, ficando assim menos produtivos.
Desta forma, o melhor é estudar durante 25-30 minutos e tirar uma pausa de 5 minutos. 5 minutos basta para abstrair a mente e te preparares para a próxima sessão. 
 
  1. Arranjar uma área de estudo
O ambiente em que estás determina o teu comportamento. Sabendo isto já consegues imaginar o que acontece se estudares na cozinha ou no teu quarto certo?
O ideal é arranjar um local que seja destinado apenas para estudar. Sei que isso muitas vezes não é possível e existe uma solução para isso. Basta teres um candeeiro de secretária. O que podes fazer é: cada vez que fores estudar utilizas esses mesmo candeeiro e nos tempos de pausa desligas-o. Assim, vais utilizar o candeeiro apenas para esse propósito e vai ser mais fácil para ti estudar, uma vez que cada vez que ele estiver aceso é hora do estudo.
 
  1. Estudar ativamente
Como foi dito no vídeo "Quanto mais activa for a tua aprendizagem, mais eficiente será". A primeira coisa que se deve fazer ao estudar um assunto é nos questionarmos se o que estamos a aprender é um conceito ou um facto.
 
Um conceito é por exemplo  "o que é que o osso faz?" é algo que tens de perceber.
Um facto é por exemplo "Qual o nome deste osso?" é mais decorado.
 
Os conceitos são mais importantes, porque ao perceberes bem um certo tema, vais percebê-lo sempre e não vais esquecê-lo com facilidade. Já os factos ao longo do tempo caem mais facilmente no esquecimento, mas o bom é que são rapidamente pesquisados na Internet.
Outra coisa que muita gente confunde é Reconhecer Vs. Lembrar. Reconhecer é ver uma palavra sublinhada e essa palavra servir de "gatilho" para disparar no nosso cérebro a informação que sabemos disso - conceito. Nos testes, por exemplo, não temos esse "gatilho" para nos lembrarmos da informação toda. Por isso, não basta reconhecer as coisas, temos de nos lembrar. Para não precisarmos mais desse "gatilho" para sabermos as coisas, temos de consolidar a informação.
 
  1. Tomar notas eficientemente
Tomar notas e não as ler depois de as tirar não serve de nada. O ideal é depois de uma aula, ler as notas que se tirou e até acrescentar alguma informação, se necessário. Se deixares passar muito tempo sem ler as notas, quando as fores ler é como se estivesses a ouvir essa informação pela primeira vez, o que te levará muito mais tempo a aprenderes. 
 
  1. Ensinar o que aprendeste
A melhor maneira de aprender é ensinar. É uma excelente forma do nosso cérebro processar toda a informação e resumi-la para alguém. Ao fazer isto ficas a saber se estás a dominar bem ou não o assunto. 
 
  1. Utilizar os livros corretamente
Usando a técnica do SQ3R (Survey, question, read, recite, review). Isto consiste em pesquisar, questinar, ler, dizer o que se leu e rever.
 
  1. Usar mnemónicas 
Os factos são mais fáceis de memorizar usando mnemónicas:
  • Acrónimos Ex: IPMAT - Os estágios da divisão celular (Interfase, Prófase, Metáfase, Anáfase, Telófase)
  • Frases em que a primeira letra diz algo sobre o tema (coined sayings) Ex: Oh! Ó Meu Pateta, Tu Mandas Fazer A Guerra Porque És Grande! - Ajuda a decorar os nervos cranianos.
  • Imagens relacionadas ao tema
 
Espero que isto te tenha sido útil! Deixo o vídeo na íntegra caso queiras assistir.

Até à próxima,
Gonçalo
 

Como prometido, deixo aqui, muito resumidamente, algumas notas que eu tirei ao ler o livro A Força do Hábito de Charles Duhigg. 
 
Um estudo descobriu que de todas as ações que fazemos no dia a dia, 60% são realmente as nossas decisões. Os outros 40% são responsáveis pelos nossos hábitos. Ou seja, quase metade das nossas ações funcionam como um piloto automático. É uma forma que o nosso cérebro encontra de economizar energia.
 
Para entender os hábitos temos de conhecer o ciclo do hábito. O ciclo do hábito é constituído por 3 partes:
  • Deixa
  • Rotina
  • Recompensa

    drr.jpg

     

A deixa funciona como um gatilho que dispara um sinal no cérebro para começar uma atividade - uma rotina. Esse sinal pode ser disparado por um local, um objeto ou até por um sentimento.
 
A rotina pode ser física, emocional ou mental e é sempre realizada quando deparada com a deixa.
 
A recompensa é uma espécie de prémio por ter realizado a tarefa. Ela ajuda o cérebro a avaliar se vale a pena lembrar para o futuro este ciclo em particular. Ou seja, quanto mais prazerosa for essa recompensa, maior será o desejo de repetir a rotina e consequentemente mais facilmente o hábito se repitirá.
 
Muitas pessoas querem criar hábitos mais saudáveis ou mudar hábitos antigos.
A criação de um novo hábito provém de criar uma forte conexão entre a deixa e a recompensa. Suponhamos que queres começar a fazer exercício físico todos os dias. Como deixa podemos ter por exemplo uma hora específica ou até um objeto para dar origem à rotina. Depois da rotina, como recompensa poderíamos ter por exemplo a sensação de dever cumprido, o bem estar, ou até aquele doce que nos apetecia tanto.
 
Ou seja, na criação de novos hábitos, não devemos nos focar na rotina e sim na conexão entre a deixa e a recompensa.
 
Na mudança de hábitos aplica-se o mesmo conceito. É preciso disciplina e força de vontade para se conseguir isso, mas o segredo é arranjar uma rotina mais saudável que procure as mesmas recompensas. Ou seja, à luz da mesma deixa, realizar uma rotina nova, obtendo as mesmas recompensas!
 
 
Espero que isto te tenha ajudado! Se te ajudou, deixa um comentário, gostava de saber a tua história!
Até à próxima,
Gonçalo

Já tentaste criar novos hábitos mas acabaste por não conseguir? Eu já! Por isso, há uns tempos atrás fui tentar perceber como isto funcionava. Queria saber como eles atuavam no nosso dia a dia e o que fazer realmente para conseguirmos mudar os nossos hábitos sem passar por ser apenas mais uma tentativa...

Com alguma pesquisa encontrei A Força do Hábito de Charles Duhigg. Adorei o livro, é simples de ler e apresenta ao longo dele exemplos de pessoas e empresas que não eram bem sucedidas e ao mudarem os seus hábitos conseguiram chegar muito longe. Considero um livro de leitura obrigatória. Cada vez mais pessoas querem ser mais produtivas ou realizar tarefas mais saudáveis mas não conseguem mudar esses maus hábitos. Este livro mostra exatamente como fazer isso e o que ter em conta.

No próximo post, estou a contar colocar aqui algumas notas que fui tirando à medida que lia o livro. Tenho a certeza que te será muito útil!

Até à próxima,

Gonçalo

 

 250x.jpg

 

23 Ago, 2018

O meu primeiro post

Bem, parece que finalmente comecei a escrever num blog. Chamo-me Gonçalo, tenho 19 anos e estou no segundo ano do curso de Imagem Médica e Radioterapia. Gosto de escrever, de ler e sou muito ambicioso em relação ao meu futuro. Entrei nesta vida [se é que se pode dizer isso] para melhorar a minha escrita. Sei que é uma habilidade muito importante e que para ser melhorada tem de ser praticada. Por isso, aqui estou eu.

 

Eu tenho interesses muito variados. Gosto de tudo o que me ajude a ser mais produtivo. Adoro toda a ciência por trás dos nossos hábitos e como combater os menos bons [todos queremos isso não é verdade?]. Não me considero nenhum especialista nestes assuntos, mas já sei umas coisas que me têm ajudado ao longo dos tempos. Posto isto, devem encontrar por aqui coisas relacionadas com:


  • Hábitos

  • Estratégias de produtividade

  • Procrastinação

  • Rotinas

  • ...


 

Espero que, com este blog, vos consiga transmitir algumas das coisas que fui aprendendo e que isso vos ajude tanto no vosso dia a dia como me ajudou a mim!

Agora que conhecem um bocado de mim, gostava de conhecer um bocado de vocês também, estou a contar com vocês para isso.

 

Disfrutem,

Gonçalo